Atendimento a vítimas assegurado em período de confinamento

Eventos
15 April 2020

Durante a pandemia, o acompanhamento das vítimas deviolência doméstica está a ser realizado com especial atenção. Os indícios sãoclaros e alarmantes: o confinamento pode agravar as situações de violênciadoméstica e dificultar o pedido de ajuda. Assim, e mesmo com osconstrangimentos actuais, o atendimento, essencialmente por via telefónica,continua assegurado a nível nacional,através da linha de informação a vítimas de violência doméstica (800 202 148),e a nível local, através doGabinete de Apoio a Vítimas da CooLabora (963603300).

Ainda a nível nacional, e para fazerface a situações em que a vítima não pode pedir ajuda oralmente, foi lançada alinha de SMS através do número 3060, que é gratuito, confidencial enão deixa qualquer vestígio na factura. Existe, ainda, o endereço dee-mail violencia.covid@cig.gov.pt.Outras linhas nacionais relevantes são: o 144,linha nacional de emergência social; o 112,linha de emergência nacional e se sentir que a sua vida está em perigo e o 116 111, linha SOS criança (deveráensiná-lo aos/às filhos/as).

A nível local, a CooLabora, através do seu Gabinete deApoio a Vítimas, tem privilegiado o atendimento telefónico através da linha deemergência 963603300, por e-mail através do endereço apoiovitimacoolabora@gmail.com e porvideoconferência. Só em situações extremas é feito atendimento presencial.

Também a nível local, as forças desegurança continuam activas e atentas diariamente, sendo os principaiscontactos: PSP Covilhã – 275 320 920; GNR Covilhã – 275 320 660; GNR Belmonte –275 910 020 e GNR Fundão – 275 759 030.

Continua a ser possível retirar vítimas de casa, com oapoio das forças de segurança (que permanecem ativas 24 horas por dia).

Atendendo ao cenário que estamos a viver, as respostasnacionais e locais tiveram de se adaptar para assegurar que as vítimas de violênciacontinuam a ter um apoio eficaz.

Neste momento, a CooLabora continua a assegurar ofuncionamento diário do Gabinete de Apoio a Vítimas de Violência Doméstica,embora de forma adaptada ao cenário de emergência nacional, e a promover aarticulação com as entidades da Rede Violência Zero dos concelhos da Covilhã,Belmonte e Fundão.